Pular para o conteúdo principal

"É fácil em sonhos criar universos E tão adversos dos nossos reais"


-->
Devaneio
Quando o horizonte límpido
Se emponchou de nuvens
Matizando o céu
Refletindo sóis por imagens suas
Desencilhei o pingo. O larguei ao campo
E fui pro rancho, matear solito.

O fim do dia repontou a lua
E a noite prateada ainda mais xirua
Foi palco de sonhos e pensamentos vagos...

Recordei andanças
E criei bonanças num futuro meu.
Divaguei nos campos do meu faz de conta.

A fauna campeira que me faz costado
A cada final de dia ou alvorada
Gorgeou carinhos ao meu devaneio.

Lembrei da chinoca de louros compridos
Que a muito eu queria tê-la por minha,
De labios corados e pele macia
Que eu por não ter coragem
Só em sonhos a tinha.

Pensei no meu rancho repleto de piás
Crescendo na lida pra domar os potros
Quando eu não mais puder.
Pra erguerem seus ranchos na volta do meu.
Porém conclui:
Os filhos que crescem abandonam o ninho
E traçam caminhos em rumos só seus.

O ronco do mate,
Da cuia vazia me pôs em alerta.

É fácil em sonhos criar universos
E tão adversos dos nossos reais
Difícil é ter nos dias singelos
Um mundo harmônico
De encantos e paz...

A água bateu na quincha do rancho,
Um raio de luz, a seguir um trovão.
O tempo mudou, sequer eu notei.
Eu tão submerso nos meus pensamentos
Não senti o frescor e o rumo do ventos.

Secou a chaleira. A erva lavou.
O tempo estiou.
As brasas do fogo cobertas de cinza.
A mim mais um dia na tarca da vida
E a noite é comprida, pra um só que mateou.
Por - Paulo de Freitas Mendonça

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Veja esta: Oportunidades disfarçadas nas crises

Início dos ano 1930. O mundo vivia uma destruição de riqueza sem precedentes: entre 1929 e 1933, o Produto Interno Bruto dos Estados Unidos encolhera 45%. milhares de empresas fecharam as portas. Bancos, indústrias e negócios rurais reduziram drasticamente suas operações. Um em cada quatro trabalhadores perdeu o emprego. Mais de 12 milhões de americanos foram colocados na rua.
Em meio a essa turbulência, nos arredores da Peninsilvânia, o engenheiro Charles Darrow era uma das vítimas do desemprego. Confinado em uma casa sem nada para fazer, ele tentava distrair os filhos contando histórias e improvisando brincadeiras.
Certo dia, Charles recordou um passatempo interessante que havia conhecido no trabalho: um jogo divertido mas com regras complexas que simulava negociar imóveis por valores fictícios. Pensando em entreter as crianças enquanto a esposa preparava a refeição, ele começou a desenhar na toalha de mesa uma cidadezinha, com casas e prédios inspirados nas contruções da vizinhanç…

Reticências

Cheguei em casa ontem com uma sensação de pertencimento tão forte como a que somos capazes de sentir quando fazemos uma criança sorrir em um cenário de dor ou de tristeza. O dia estava nublado e eu estava esgotada, exausta, mas quando eu vi brilhar a presença dele o meu coração acelerou em disritmia.
De fato, aquela luz foi o que inaugurou o encanto, imagino que a sensação seja a mesma de estar em Paris, sentindo toda a elegância e a sedução daquelas Ruas poéticas e daquele ar familiar e deslumbrante. Sem previsibilidades ou pretensões e, simplesmente surpreender-se com a cintilância daquele pertencimento mágico e inominável.
Também já imaginei tomar um café com ele no mesmo lugar onde Beauvoir e Satre haviam se encontrado outrora.
Tive vontade!
Meus dias em São Paulo me levaram a percorrer caminhos novos e desconhecidos. No início fiquei um pouco atrapalhada com a velocidade de tudo e com poucos lugares tranqüilos para ficar, mas hoje procuro palavras para expressar a minha plenitude …

HAITI: O pais caribenho soterrado pela miséria, violência e agora pela desgraça estrutural

Meu país é doença em seu coração, todas as pessoas que têm no meu país vivem na rua – Jean Marc Fantaisie - 20 anos (Jovem haitiano, que reside na cidade de Jérémie, também conhecida como “A Cidade dos Poetas”. Jérémie é uma cidade rural do Haiti).


O Haiti é um país caribenho que se localiza no leste da América Central. Em 1492, os espanhóis ocuparam somente o lado oriental da ilha - atualmente República Dominicana – onde todos os índios da região foram mortos ou escravizados. Já o lado ocidental da ilha, onde hoje se localiza o Haiti, foi cedido aos franceses em 1697. Estes, por sua vez, passaram a cultivar cana de açúcar e a utilizar mão-de-obra escrava oriunda do continente africano. Em 1804 negros e mulatos haitianos travaram uma luta feroz contra os colonizadores franceses, que ficou conhecida como uma guerra de libertação nacional. Este movimento anti-racista e anti-colonial foi liderado pelo ex-escravo Toussaint L”Ouverture e, logo mais tarde, sob o comando de Jacques Dessal…