Pular para o conteúdo principal

Rotação do Olhar

Tentando compreender um pouco melhor as relações humanas da modernidade e, sobretudo os sistemas de burocratização, gostaria de iniciar esse blog, que criei para compartilhar com amigos idéias e sentimentos frente situações diversas que nos aguçam diariamente uma posição um tanto quanto emergente e principalmente, posições distantes do conformismo, falando sobre algo que está muito presente nas relações humanas: orkut ponto com.
Para quem ainda não conhece e não faz parte deste novo instrumento de relações "humanas", o orkut é uma rede social que foi criada em 2004 por um engenheiro de software, de 29 anos, o turco Orkut Buyukkokten. Conforme ele, essa rede tem por finalidade um ambiente de confraternização on-line entre pessoas que têm os mesmos interesses...ah, afirma ainda que é uma rede confiável!
Mas...qual o motivo de estarmos participando desse sítio de relacionamentos on-line desenvolvido pela maior empresa de tecnologia do planeta, a google Inc? Não me surpreenderia se grande parte das respostas fosse similar a estas: tenho orkut por que faço muitos amigos; ou, tenho orkut por que reencontro conhecidos e conversamos diariamente; ou quem sabe, por que posso demonstrar publicamente aos meus amigos o quanto gosto deles.
O que me surpreende, é saber que os cidadãos brasileiros são os que mais disponibilizam suas propriedades intelectuais, via "orkut", ao google. Aproximadamente 72% dos usuários do sistema, isto é, quase 8,8 milhões de pessoas.
Distante de um radicalismo, mas, procurando ativar a imaginação para abrir outros caminhos possíveis ao pensamento, ou, somente um pensamento rotativo, não paralisado na obscuridade do instante, observando as diversas "celas" da burocratização, percebo que o "orkut.com" é sem dúvida mais um espaço de obediência criado, de servidão voluntária, de timidez, de descrédito das ações, de melancolia, de sedução, da carência, da solidão...
É evidente, explícito e armazenado em um grande banco de dados as diferentes modulações das pessoas engajadas nesse fluxo cibernético...No orkut as pessoas podem compartilhar suas práticas, seus pensamentos, suas visões políticas, suas vontades, com indivíduos que talvez jamais conheceriam por outras vias, e, assim, aumentam suas listas de amizades/inimizades constituindo uma atmosfera impessoal, ou seja, não há o contato físico, é uma relação que pode ser desligada a qualquer momento. Também, é muito lógico que são criados espaços classificatórios, através das comunidades, permitindo individualmente a cada membro inscrito se agenciar no seu próprio controle...há o grupo dos que são a favor da pena de morte, os que são contra; o grupo dos artistas; dos reacionários, dos revolucionários; dos armados, enfim há muito brasileiro contribuindo para os bancos de dados do Google. Inc, e nesses bancos de dados é lamentável a grande quantidade de jovens brasileiros que desejam extermínios e aceitam das pequenas às grandes tiranias.
As celas da rede burocrática de controles de inteligências são técnicas eficazes que funcionam dominando esperanças e agem contra a invenção/imaginação e o pensamento utópico é uma anestesia até mesmo nas mentes inquietas...Esta burocracia inibe o ato criativo, e sabemos que criar é sonhar para frente; inibe o ser humano, tornando-o exato (burocratização até mesmo do tempo) e nessa exatidão todos(=exatos) permanecem pensando iguais, consumindo as mesmas coisas nos mesmos horários, todos(=exatos) parecem entregues ao consenso, à opinião pública...e infelizmente todos(=exatos) deixam para trás as suas próprias imagens críticas...Conforme Frederic Jamerson, em sua obra A Utopia e o ser realmente existente, nos diz que a imaginação exige liberdade e imprecisão, portanto precisa de sujeitos inexatos.

Raíssa M. Londero

Comentários

  1. Raíssa...

    Surpreendente, inovador, insensato, não plano, idéias em carretéis de matéria púrpura, translucida e não mensurável...

    Parabéns, de pequenas idéias em grandes pessoas se faz um mundo!!!

    ResponderExcluir
  2. Texto muito interessante e pertinente.

    Fico faceiro pois minha mente viajou distante na "inexatidão" dos pensamentos, o que me dá muita esperança.

    O mundo precisa de homens e mulheres reais, - imperfeitos evidentemente - mas um esforço real supera uma projeção/imagem virtual. Na era da simulação, um texto desses me enche de alegria.

    parabéns pela iniciativa do blog

    Grande abraço

    Rodrigo.

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pela idéia e pelo texto.
    É sempre bom e inovador a chegada de novas pessoas ao mundo cibernético e virtual com conteúdo, carisma, presença e acima de tudo coração!
    Com certeza esse teu “cantinho particular” e ao mesmo tempo do mundo todo, crescerá como as lágrimas e os sorrisos que nós deixamos a cada batida dos nossos corações, pois a vida se faz também assim!
    Um grande abraço e muito carinho em minhas palavras.
    Um beijo!

    ResponderExcluir
  4. Jamais pare de escrever!
    Jamais pare de pensar!
    Tenha idéias, muitas idéias.
    Mas não se esqueça de pô-las em prática!

    Parabéns pela iniciativa...

    ResponderExcluir
  5. Ótimo!!!

    Ainda estou pensando se o que vou escrever é exato, ou se vai parecer algo confuso... mas eis mais um pensamento...

    Numa era de encontros e vidas meramente virtuais (ou viscerais para muitos),
    isso (lê-se burocratização do ser pensante) seria reflexo de já encontros entre pessoas reais, mas de realidades totalmente simuladas,
    ou seria, de encontros entre o desencontro entre o que é real e o irreal?

    Parabéns... adorei pensar sobre "isso". Grato.

    ResponderExcluir
  6. As palavras tem poderes cognitivos, os sêres têm tb esses poderes pedagógicos, mas o emocional está antes das palavras, e surpreende por demais!

    Parabéns Raíssa! o subconsciente está diretamente ligado ao mundo cósmico que nos presenteia com imagens e ação. Um pulo para o desencadear da revolução!!!!

    bjs bjs bjs

    ResponderExcluir
  7. Boa noite Raissa, eu já tinha orgulho por ter tu em minha sala, mais ainda por saber que tu es genia. Só precisa perder um pouco o medo, mas nem tanto.
    "Peguntaram para Romeu Tuma,
    porque não anda armado,
    porque quem usa arma tem medo,
    e você não tem medo,
    quem não tem medo,
    não é normal".
    Francisco Erivgaldo.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Veja esta: Oportunidades disfarçadas nas crises

Início dos ano 1930. O mundo vivia uma destruição de riqueza sem precedentes: entre 1929 e 1933, o Produto Interno Bruto dos Estados Unidos encolhera 45%. milhares de empresas fecharam as portas. Bancos, indústrias e negócios rurais reduziram drasticamente suas operações. Um em cada quatro trabalhadores perdeu o emprego. Mais de 12 milhões de americanos foram colocados na rua.
Em meio a essa turbulência, nos arredores da Peninsilvânia, o engenheiro Charles Darrow era uma das vítimas do desemprego. Confinado em uma casa sem nada para fazer, ele tentava distrair os filhos contando histórias e improvisando brincadeiras.
Certo dia, Charles recordou um passatempo interessante que havia conhecido no trabalho: um jogo divertido mas com regras complexas que simulava negociar imóveis por valores fictícios. Pensando em entreter as crianças enquanto a esposa preparava a refeição, ele começou a desenhar na toalha de mesa uma cidadezinha, com casas e prédios inspirados nas contruções da vizinhanç…

Reticências

Cheguei em casa ontem com uma sensação de pertencimento tão forte como a que somos capazes de sentir quando fazemos uma criança sorrir em um cenário de dor ou de tristeza. O dia estava nublado e eu estava esgotada, exausta, mas quando eu vi brilhar a presença dele o meu coração acelerou em disritmia.
De fato, aquela luz foi o que inaugurou o encanto, imagino que a sensação seja a mesma de estar em Paris, sentindo toda a elegância e a sedução daquelas Ruas poéticas e daquele ar familiar e deslumbrante. Sem previsibilidades ou pretensões e, simplesmente surpreender-se com a cintilância daquele pertencimento mágico e inominável.
Também já imaginei tomar um café com ele no mesmo lugar onde Beauvoir e Satre haviam se encontrado outrora.
Tive vontade!
Meus dias em São Paulo me levaram a percorrer caminhos novos e desconhecidos. No início fiquei um pouco atrapalhada com a velocidade de tudo e com poucos lugares tranqüilos para ficar, mas hoje procuro palavras para expressar a minha plenitude …

HAITI: O pais caribenho soterrado pela miséria, violência e agora pela desgraça estrutural

Meu país é doença em seu coração, todas as pessoas que têm no meu país vivem na rua – Jean Marc Fantaisie - 20 anos (Jovem haitiano, que reside na cidade de Jérémie, também conhecida como “A Cidade dos Poetas”. Jérémie é uma cidade rural do Haiti).


O Haiti é um país caribenho que se localiza no leste da América Central. Em 1492, os espanhóis ocuparam somente o lado oriental da ilha - atualmente República Dominicana – onde todos os índios da região foram mortos ou escravizados. Já o lado ocidental da ilha, onde hoje se localiza o Haiti, foi cedido aos franceses em 1697. Estes, por sua vez, passaram a cultivar cana de açúcar e a utilizar mão-de-obra escrava oriunda do continente africano. Em 1804 negros e mulatos haitianos travaram uma luta feroz contra os colonizadores franceses, que ficou conhecida como uma guerra de libertação nacional. Este movimento anti-racista e anti-colonial foi liderado pelo ex-escravo Toussaint L”Ouverture e, logo mais tarde, sob o comando de Jacques Dessal…